Masego

Detalhes

Bio

Masego é saxofonista, cantor, rapper, comediante e DJ - um talento único e de uma presença surpreendente no mundo da música atualmente, que cita o grande Cab Calloway, gênio dos anos 1930, como principal influência. Orientado pelo Dj Jazzy Jeff, o artista vem mudando de forma suave e sensual o R&B, hip-hop e dance music que ele, assim como seus contemporâneos Chance The Rapper, SZA, Goldlink e Smino estão fazendo. 2018 foi um ano espetacular para Masego com o lançamento de seu primeiro álbum Lady Lady, resultado da entrega de anos de trabalho duro, viagens ao mundo e refinamento de sua arte única.

Lady Lady é um case das muitas faces: engraçado e sedutor, inocente e maduro, misterioso e temperamental. A música que dá nome ao álbum mostra um jovem galã do jazz tocando D'Angelo no saxofone. No restante ele é influenciado pelo trap, música caribenha, sons eletrônicos e algumas outras influências mais sóbrias. "São as várias emoções de Masego", brinca. Um de seus maiores colaboradores é o produtor Sounwave da TDE que afirma que Masego pode dar um passo à frente. "Ele pode compor de uma forma lendária: como Michael Jackson ou Stevie Wonder".

Masego teve uma juventude nômade, sempre se mudando com seu pai Jamaicano/Americano que era da Força Aérea e sua mãe do Estado da Geórgia. Ambos são pastores e ele viveu o que chamou de vida protegida, eventualmente se estabelecendo na Virgínia para fazer o Ensino Médio. Seu primeiro contato com a música foi na igreja e sua educação era rigorosa. "Nós não podíamos ouvir hip-hop de forma alguma". Quando tinha 8 anos, se encantou por um baterista da igreja e aprendeu sozinho a tocar o instrumento. "YouTube me ensinou tudo que sei", diz. Aprendeu piano e saxofone também.

Foi na faculdade que Masego desabrochou. Ele teve um crescimento de décadas em alguns meses. Construiu sua reputação em noites de apresentações livres. Depois que descobriu o pedal looper no YouTube, comprou um e começou a escrever suas próprias canções em seu dormitório. "Eu fazia músicas sobre nada," diz. "Apresentava em shows de talento e perdia feio". Masego sentiu-se mais confortável se escondendo atrás de seus instrumentos. Até que percebeu um de seus colegas apresentando uma música original em um show de talentos e chamando atenção das mulheres. "Eu sabia que estava deixando algo passar, então a voz foi o próximo passo", diz. Voltando ao trabalho, começou a fazer um beat do zero, tocar saxofone e começou a rimar.

Na faculdade, toda a música que Masego não pôde conhecer, caiu em seu colo: Outkast, Kanye, Lupe Fiasco. E a vida começou a acontecer. Masego se apaixonou, se machucou. "Ainda estou passando por esse processo", admite. "Quando eu escrevi minhas melhores músicas na faculdade é porque estava lidando com o meu ponto de vista de um término". Ele tinha uma banda e inventou um gênero: 'Trap House Jazz'. Um freestyle que ele lançou no Soundcloud chamado 'Girls That Dance' viralizou e chamou a atenção do DJ Jazzy Jeff. "Eu recebi uns tweets que Jazzy Jeff estava tocando minha música em Amsterdã. Eu tweetei de volta e ele me mandou uma DM me convidando para sua casa." afirma. "Ele tem sido meu padrinho desde então".

Foi na companhia de Jeff que Masego começou a trabalhar com produtores como Young Guru, Jill Scott, Will Smith. "Metade de mim estava fascinada", conta. "Eu sou um nerd da música. Amava ouvir eles falando sobre como produziam uma música. Eu estava tentando aprender". Naquela época, ele estava olhando para nomes como Pharrell Williams, Frank Ocean, Childish Gambino e Tyler, The Creator como nomes criativos que trilharam seus próprios caminhos, uma intenção que ele compartilha.

Em Los Angeles, ele continua em boa companhia. Dividindo espaço com Kendrick Lamar, Flying Lotus, Thundercat, J Cole, Rapsody, e chegou a uma realidade que não está fora de seu alcance. "Conheci todos meus heróis", afirma. De volta a Virgínia, ele visitou DC com o rapper GoldLink. Eles viraram amigos e Masego diz que ele o põe seus pés no chão. "Eu vi alguém ir de shows locais até ter um single número 1 nas paradas. Essa é minha melhor chance de não errar", conclui.

Em seu núcleo, Lady Lady é sobre suas experiências com mulheres e como elas o fizeram ver mais de si mesmo. "Independente de ser uma conversa, um relacionamento ou um lance... Me inspirou? Me machucou? Aprendi algo? Me senti confuso?". Mulheres a parte, a vida dele gira em torno da música no momento. Ele adora quanto está entediado. "É quando eu fico criativo", afirma. Com sua família sempre por perto, são um grande alicerce para ele. "Eu quero que as pessoas ganhem comigo", diz. "Vencer é inevitável".