Batemos um papo com a Pabllo Vittar sobre sua carreira e a expectativa para estrear no Lollapalooza Brasil 2020



Vamos ter que apelar para o clichê, mas é que a cada dia que passa ela vai mais longe. Uma das principais atrações do dia 05 de abril, o nosso terceiro dia de festival, Pabllo Vittar traz todo o seu brilho para o palco do Lollapalooza Brasil em um ano em que seu nome se fez presente nos maiores festivais do mundo, incluindo o nosso, em suas edições na América Latina.

Não é exagero dizer que a Pabllo não é mais nossa, mas do mundo. Sua carreira internacional é uma realidade, o reconhecimento de seu trabalho é nítido e, mais do que isso, na mesa de jantar da família brasileira, ela é o assunto. Todos cantam seus sucessos, sua música é tema de novela, a vemos na TV em horário nobre. Se ir longe demais é quebrar os paradigmas de um país como o nosso, então parece que ela foi mesmo.

Tudo isso pra dizer que batemos um papo com ela durante alguma escala pelo mundo. Dá uma olhada:

Olá, Pabllo, é uma honra ter a maior drag queen do mundo no nosso palco. Os números não mentem, mas você se sente assim? Seu nome está nos principais festivais do mundo!

As coisas aconteceram de forma natural, o que faz desse carinho das pessoas algo ainda mais especial. Eu sempre foquei em fazer um trabalho com qualidade e muita verdade para as pessoas. A música é sempre a minha prioridade. É um trabalho de muito tempo realizado por mim e minha equipe que resultou nessa repercussão internacional de forma natural. Sou grata por cada novo passo que minha carreira tem alcançado.

Você não inventou a roda, mas através do seu destaque, mais pessoas passaram a se identificar com a cultura drag, a se montar, a mídia abriu espaço para outras drags. Como é ser uma referência em um ramo artístico tão especial? E como é ser pauta entre as famílias brasileiras?

Fico muito feliz em poder colaborar para ampliar a visibilidade de outros artistas LGBTQ+. Temos muitos talentos no mundo que ainda precisam ser descobertos.

E eu faço música para todas as pessoas. Quanto mais diversidade melhor. Algumas pessoas colocam limites no alcance do trabalho de artistas, o que não é legal e limita. No meu caso, apesar de ainda haver preconceito, sou muito feliz em ser bem recebida por todo tipo de público.

O pop brasileiro está consolidado, mas tivemos artistas como Kelly Key, Rouge e Perlla no início desse movimento. Qual é a sua relação com o passado do pop nacional, você consumia, isso te inspira de alguma forma? Ah sim, sim, eu dancei muito ao som dessas artistas, amava. Era um pop diferente do atual, mas que foi importante para chegar onde chegamos. Abriu portas.

Você tem alguns feats com artistas do Lollapalooza Brasil 2020, como Charli XCX e Rita Ora. Pensando no nosso line-up, existe algum artista que você sonha dividir o palco ou fazer um novo feat? E tem algo que você curta ouvir?

Tem vários artistas talentosos e que acho que seria interessante uma colaboração, mas são vários, não consigo citar um nome agora, eu escuto de tudo, mesmo, muita coisa. Sou bem versátil no meu gosto musical.



Teremos algo novo no Lollapalooza Brasil? Você preparou algum lançamento ou um show novo?

Sim, eu vou fazer o meu novo show da turnê 111, que é do meu último disco, com figurinos diferentes, além de outras novidades. Quero que esse seja um show especial, estou muito empolgada para fazer isso acontecer.

Quer deixar algum recado para seus fãs?

Eu amo muito vocês e todo o carinho que sempre me enviam.



É isso, você tem até o dia 05 de abril para decorar as coreôs e as letras da diva do pop brasileiro.

Ingresso pra bateção cabelo? Temos, clica aqui: http://bit.ly/LollaBR2020

This article was posted on março 4, 2020