Onde estão as bandas que tocaram no primeiro Lollapalooza da história?



Em 1991 o Jane’s Addiction estava prestes a acabar. Ou parar por um tempo, mas o importante é que a tour que deveria ser a última da banda gerou um dos maiores festivais do mundo.

No primeiro festival Lollapalooza da história, em formato de turnê itinerante, o Perry Farrell convocou – além de sua própria Jane´s Addiction – as bandas Siouxsie and the Banshees, Living Colour, Nine Inch Nails, Violent Femmes, Fishbone, Ice-T & Body Count, Butthole Surfers, Rollins Band e Lords of Acid. Bandas extremamente importantes para suas cenas, para a época e para a história da música. E foi por causa delas que fizemos esta lista, afinal, como estão estas bandas quase 30 anos depois do primeiro Lolla?

Jane’s Addiction



Com shows raros e esporádicos, a banda do nosso criador não está exatamente na ativa, mas também não podemos dizer que parou de vez. Com vários projetos paralelos de seus integrantes, a banda se encontra estacionada. Perry Farrell, por exemplo, acabou de lançar o álbum Kind Heaven.



Siouxsie and The Banshee



Uma lenda em meio a futuras lendas. Podemos resumir assim a presença de Siouxsie & the Banshees no Lollapalooza 1991. Pioneiros do pós-punk e influência para bandas que vão de Joy Division e Massive Attack a LCD Soundsystem, a banda decidiu pendurar as baquetas em 1996, mas contou com algumas aparições raras (e bota raras nisso) desde então.



Living Colour



Desde a sua criação, em 1984, o mundo passou apenas cinco anos sem Living Colour entre nós. Entre 1995 e 2000 a banda deu uma pausa quando estavam prestes a lançar seu quarto álbum. Foi quando Vernon Reid, anunciou a sua saída do grupo, que decidiu não seguir sem o seu líder. Mas nada como o tempo para resolver velhas rusgas de palco, e em 2000 a banda voltou à ativa, tendo lançado três álbuns desde então. Eles estão em tour até hoje.



Nine Inch Nails



Uma banda trintona. O Nine Inch Nails, fundado em 1988, era praticamente uma banda iniciante quando subiu ao palco do primeiro Lollapalooza. Desde então, a banda acumulou 10 álbuns. Em 2009, eles deram um tempo, afinal, todos ali contam com vários projetos paralelos, em especial, Trent Reznor. O líder do grupo recebeu até um Oscar, neste meio tempo, pela trilha sonora de “A Rede Social”, em 2011. Hoje a banda está na ativa de novo, inclusive estiveram no Lollapalooza Brasil 2014. Um show memorável.



Violent Femmes



O pós punk deve muito ao Violent Femmes. A banda, criada em 1980, ajudou a pavimentar a estrada pela qual todas as bandas alternativas dos EUA passam até hoje. Com algumas pausas no meio do caminho, a banda chega em 2019 ainda na ativa, prestes a completar 40 anos e com um novo disco recém lançado. Ou seja, o Violent Femmes continua quebrando tudo.



Fishbone



O Fishbone era uma bagunça. E isso é um grande elogio ao grupo. Formado em 1979, eles são da mesma cena que deu origem a bandas com Red Hot Chilli Peppers e Jane’s Addiction, em Los Angeles. O último disco da banda saiu em 1996, mas eles continuam tocando seus sucessos pelo mundo todo.



Ice-T & Body Count



Quando você busca na memória, talvez as referências de Ice-T sejam mais fortes em relação ao hiphop, mas em 1990 ele escreveu mais uma página em sua carreira. O Body Count, uma mistura de crossover trash e rap, era tão agressivo quanto o gangsta rap pelo qual T era conhecido. Dos membros originais, Mooseman, Beatmaster V e D-Roc já não estão mais entre nós, e apenas Ice-T, Sean E Sean e Ernie C estão ainda em atividade com a banda, claro, com novos integrantes.



Butthole Surfers



Tá aí, Butthole Surfers. O difícil é saber por onde começar a falar da banda que, durante todos os anos 1980 excursionou pelo mundo levando o harcore punk com pitadas de noise, psicodelia, e um humor altamente questionável. O último álbum da banda saiu em 2001 e os shows são raros, mas a banda continua.



Rollins Band



O ego de Henry Rollins estava sendo saciado com a Rollins Band. Icônico vocalista do Black Flag e fundador de um estilo de vida realmente alternativo, quase sobrevivente. Depois de anos de muito punk e sujeira, o Black Flag terminava, em 1986, e nascia assim a Rollins Band, banda que durou 20 anos, e que estava mais para o post-harcore, por vezes soava com um jazz ligado na tomada. A banca acabou em 2006.



Lords of Acid

Praga Khan é o líder do Lords of Acid, um grupo belga de new beat, que mesclava por vezes house, techno, miami bass e rock. Tudo isso com uma boca realmente suja. A banda continua na ativa, e mais do que isso, é referência para muito do que foi feito em música eletrônica nos anos seguintes. Eles foram a única banda eletrônica do primeiro Lollapalooza, sendo assim, podemos considerá-los a sementinha do que hoje é o Perry’s Stage.

This article was posted on agosto 26, 2019